Vista aérea tras la Segunda Guerra Mundial (Mö...

Vista aérea tras la Segunda Guerra Mundial (Mönchengladbach, 1945) (Photo credit: Recuerdos de Pandora)

 

Mikhail Aristov

© YouTube

 

A televisão pública alemã ZDF apresentou há dias a nova minissérie de ficção “Nossas Mães, Nossos Pais” (“Generation War” na versão em inglês), cuja ação decorre durante a Segunda Guerra Mundial. Os mídia alemães já classificaram a série de “acontecimento cultural do ano”. Entretanto, organizações sociais da Polônia se dirigiram ao seu ministro das Relações Exteriores Radoslaw Sikorski exigindo medidas firmes contra a divulgação desta “série caluniosa”, segundo a sua opinião.

 

O filme conta a vida trágica de cinco jovens berlinenses que são engolidos pela trituradora de uma guerra horrível. Eles se distinguem bastante pela sua humanidade dos nazistas, que são apresentados na série como monstros cruéis. Os criadores do filme apresentam-nos como patriotas que lutam pela sua pátria, mas que com o tempo vão perdendo todos os seus objetivos e valores. No fim da série, um dos personagens mata o seu comandante nazista. Paralelamente são retratados os guerrilheiros poloneses. Nos seus atos há tanto de antissemitismo e de violência como nos dos próprios nazistas. Foi isso que provocou a tempestade de indignação na sociedade polonesa. Este é o comentário de Zygmunt Dzenciolowski, cronista polonês e editor do portal openDemocracy:

“Quando há um filme a ser transmitido na televisão alemã que apresenta os poloneses como antissemitas e fala da responsabilidade dos poloneses pelo genocídio dos judeus durante a Segunda Guerra Mundial, isso parece, no mínimo, estranho. A mídia alemã deve apresentar um panorama correto dos acontecimentos, ou seja, saber exatamente que teve a iniciativa do holocausto em vez de andar à procura de cúmplices. Isso não pôde deixar de chamar a atenção tanto das organizações oficiais polonesas, como da opinião pública da própria Alemanha. Nesse filme, a ênfase e as proporções estão claramente desajustadas. Eu, para ser sincero, não gosto dessa tentativa para extrair da consciência coletiva a verdade simples que a responsabilidade pela Segunda Guerra Mundial é dos alemães. Este filme é uma tentativa evidente dos alemães para partilharem com outros as culpas pelos atos cometidos. Isso é completamente incorreto. É precisamente na Alemanha que a verdade deve ser formulada de uma forma precisa, ela deve colocar os pontos nos is.”

O produtor do filme Nico Hofmann declarou que os heróis da série, tal como a maioria dos alemães durante o Terceiro Reich, “ingênuos e moralmente impecáveis”, foram obrigados por pressão das autoridades a participar nas atrocidades do regime nazista. Ele tem a discordância do diretor dos programas de investigação da Fundação Memória da História russa Vladimir Simendei:

“É absurdo falar a sério que o serviço na Wehrmacht seria uma manifestação de ingenuidade. Nós sabemos que Hitler recebeu a admiração e o entusiasmo da maioria dos alemães. É nisso que reside a triste e amarga lição do nazismo que foi capaz de seduzir um povo para atingir o domínio mundial. Nesse sentido, a tentativa de demonstrar por meios ficcionais que eles não seriam assim tão culpados contém uma componente política.”

Em uma das cenas da série são apresentados atos de crueldade de soldados do Exército Vermelho. Ao irromper em um hospital, eles executam os feridos. Além disso, um soldado soviético tenta violar uma enfermeira, mas o seu ato é impedido pelo aparecimento inesperado de uma mulher-tenente com a Ordem da Bandeira Vermelha ao peito: “Alto!”, exclama. “Nós somos soldados soviéticos. Somos libertadores e não violadores. Desaparece, enquanto não te matei.” Essa cena não se apresenta como convincente, assim como as tentativas de equiparar as ações dos guerrilheiros poloneses aos crimes dos nazistas, afirma Vladimir Simendei:

“No entanto, há que não exagerar a importância deste filme em particular. problemas mais gerais. O sentimento de vergonha que estava enraizado na sociedade alemã no período do pós-guerra está se dissipando gradualmente com a renovação das gerações. Infelizmente estamos a assistir à erosão desse entendimento. A intenção de transferir as atenções, neste caso, para os poloneses ou para crimes supostos, ou por vezes reais, cometidos por tropas aliadas no território da Alemanha nos anos de 1944-45, são uma tentativa para manipular a opinião pública. Eu suponho que esse tipo de distorções, seja no plano científico, seja no plano artístico em telefilmes ou em peças de teatro, irá infelizmente ter continuidade.”

A substituição da história real do nazismo por uma história de sofrimentos humanos normais, com referências à crueldade da guerra como tal, reflete, na opinião do perito, a atual tendência geral da cultura de massas alemã. De acordo com o semanário “Der Spiegel”, graças à sua intensa publicidade, o filme já foi visto por mais de 20 milhões de espectadores.

fonte @voz da Rússia

 

Anúncios

Sobre Ronaldo adriano

Blog de noticias e entreterimentos http://ronaldoadrianolelo.blogspot.com.br/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s